Simona De Silvestro

Simona di Silvestro
Simona é piloto da equipe Andretti

Resumo da carreira: Simona começou a correr quando tinha seis anos de idade. Ela guiou kart por 10 anos. Então, em 2005, ela passou a pilotar no campeonato italiano de Formula Renault 2000. Em 2006, a suíça foi para os EUA competir na Fórmula BMW onde terminou em 4º lugar no campeonato. Então, após isso, Simona experimentou correr por cerca de três anos na Fórmula Atlantic. Ela terminou o campeonato em terceiro ao final de 2009. Em seguida, Simona De Silvestro foi para Fórmula Indy. Simona, em 2010, foi escolhida como caloura do ano na corrida de Indianápolis. O melhor resultado de Simona na Fórmula Indy foi um 2º lugar em Houston, no ano de 2013. Em 2014, a suíça tornou-se piloto afiliada à equipe Sauber na F1. Atualmente, Simona De Silvestro pilota o carro de número 28 da equipe Andretti na segunda temporada de Fórmula E .

EN: A Fórmula E tem uma mulher como piloto. Como é a sua relação com a categoria? Como é ser mulher e piloto de corridas? Há preconceito? Há categorias em que esse preconceito é maior?

SDS: Eu me sinto muito confortável na categoria. Também é bom para mim estar em uma categoria europeia de novo depois de tantos anos. Eu não acho que exista categorias mais preconceituosas que outras em relação às mulheres. Eu só acho que seja em corridas ou, em qualquer área de atuação, uma mulher tem que provar a si mesma muito mais do que um homem. É fato.

EN: Por que você escolheu a Fórmula E para dar sequência na sua carreira? Como foi que surgiu essa oportunidade?

SDS: Eu tive a chance de correr algumas corridas na Fórmula Indy em 2015 pela equipe Andretti. Após a corrida de Indianápolis, a equipe me deu a oportunidade de correr em Londres no final da primeira temporada da Fórmula E. E, eu gostei muito. Transcorreu tudo bem na corrida e, assim, fizemos um acordo para que eu disputasse a atual temporada.

Simona di Silvestro
Simona di Silvestro é a unica mulher a dirigir um carro de Fórmula E na atual temporada.

EN: Qual a sua análise sobre a parte técnica dos carros de Fórmula E? Quais as evoluções podem ser feitas no power train?

SDS: Eu acho que muitas coisas podem ser feitas para gerar evolução no power train (trem de força). Por exemplo, alguns fabricantes optaram por executar apenas uma engrenagem. Há uma gama de possibilidades que podem ser testadas quando se tem um power train.

EN: Os americanos têm uma forte relação com o automobilismo. E, você é muito famosa nos EUA. Você acha que a Fórmula E está tendo boa audiência lá? A entrada da Equipe Andretti está facilitando a divulgação da categoria?

SDS: Eu acho que sim. Há um grande número de pessoas nos EUA que estão conscientes sobre o meio ambiente e que a Fórmula E constitui uma grande oportunidade para isso. Acima de tudo, a corrida é muito competitiva e é isso que a maioria das pessoas gostam na Fórmula E. É um bom show e dispõe de uma tecnologia mais nova.

EN: E, na Suíça? Como tem sido a receptividade das pessoas em relação a Fórmula E? Você acha que seria viável um ePRIX na Suíça?

SDS: Acho que há um grande interesse na Fórmula E aqui na Suíça, especialmente agora que a proibição de corridas foi revogada para a Fórmula E. Seria muito bom ter um ePRIX na Suíça. A última vez que eu corri na Suíça deve ter sido quando eu tinha 10 anos de idade pilotando um kart. Portanto, definitivamente, chegou a hora de termos uma  corrida aqui novamente.

Simona Di Silvestro, a equipe EPRIX NEWS agradece muito a entrevista. Muito sucesso em sua carreira.

Deixe uma resposta