Salvador Durán

O mexicano alegre da Fórmula E
O mexicano alegre da Fórmula E

Hoje, o EPRIX NEWS vai entrevistar Salvador Durán, um piloto mexicano que atualmente disputa a Fórmula E pela equipe Amlin Aguri.

EPRIX NEWS: Salvador Durán, alguns brasileiros não o conhecem bem. Você poderia nos contar sobre sua carreira no automobilismo mundial?

SALVADOR DURÁN: Eu diria que os destaques da minha carreira são o campeonato Inglês da F3 (Classe Nacional), séries A1GP (com vários pódios) e duas vitórias (largando na pole em Laguna Seca/EUA). Também ganhei o Rolex 24 em Daytona, no ano de 2007, além de várias vitórias e pódios na Fórmula Renault 3.0 (World Series).

EN: Como a Fórmula E surgiu na sua vida?

SD: A categoria apareceu como uma oportunidade oferecida pela equipe Amlin Aguri. Eles me chamaram e me perguntaram se eu ainda estava interessado em corridas de automobilismo. Então, houve uma oportunidade de fazer algumas corridas trabalhando com eles na Fórmula E. Aí, eles gostaram do meu trabalho. Isso fez com que eu corresse mais etapas da Fórmula E com o time e agora estamos prestes a terminar a temporada juntos.

EN: Como tem sido seu relacionamento com a equipe de Aguri Suzuki? Você acha que sua equipe tem um carro competitivo e estrutura para ganhar um campeonato de Fórmula E?

SD: A minha relação com a equipe é boa. Acho que a equipe é muito competitiva. Eu acho que nós tivemos um pouco de desvantagem, porque houve algumas mudanças de pilotos que sentaram no nosso carro. No entanto, penso que somos competitivos para o trabalho que fizemos até agora.

Neste ano, nós não podemos mais vencer o campeonato devido aos pontos que estão disponíveis. Mesmo se vencêssemos todas as demais corridas com o meu companheiro de equipe (Antônio Félix da Costa), comigo terminando em segundo e torcendo contra os demais pilotos… É muito improvável que isso aconteça. No entanto, eu acredito que nós temos uma equipe competitiva. Estamos um pouco atrás em comparação à algumas equipes. Porém, mais uma vez, eu insisto que isso ocorreu devido a todas as mudanças de pilotos que a equipe teve ao longo da temporada.

EN: Qual é a relação dos mexicanos com o automobilismo, em especial com a Fórmula E?

SD: Os esportes à motor no México precisam de mais desenvolvimento. Temos de abrir mais a mente dos mexicanos no tocante à corridas de automóveis. Ultimamente, eles têm se envolvido mais com a cultura da NASCAR. No entanto, agora com as presenças de Sergio Pérez e Esteban Gutiérrez na Fórmula 1, eu acho que a cultura em relação ao automobilismo no México deve mudar. Eu creio que nós precisamos ajudar a espalhar o que é a Fórmula E por todo mundo.

EN: Nick Heidfeld anunciou recentemente que vai priorizar Fórmula E na próxima temporada. Você consideraria fazer algo assim?

SD: Definitivamente, a Fórmula E é a minha prioridade. Não tenho em mente disputar nenhuma outra categoria do automobilismo no momento.

EN: Ouvimos algumas pessoas aqui no Brasil criticando as baterias e o peso das mesmas nos carros da Fórmula E. A razão da crítica é porque isso faria com que o carros tenham uma velocidade muito lenta. Outros criticam a inexistência de pneus diferentes na categoria. Qual é a sua opinião sobre a entrada de oito fabricantes na próxima temporada da Fórmula E? Seria uma tentativa da FIA em minimizar as críticas acima mencionadas? Você acha que uma grande evolução é necessária com intuito de melhorar os carros e campeonato?

SD: Eu acredito que o está acontecendo com a Fórmula E é algo histórico e ainda que, atualmente, as baterias não são as melhores disponíveis, é uma questão de tempo para que isso mude. Num futuro próximo, os engenheiros vão conseguir promover novas baterias mais desenvolvidas. É uma questão de inovação.

Em relação aos oito novos fabricantes, eu posso dizer que é algo muito positive e uma prova cabal de que a categoria está no caminho certo. O crescimento da categoria é evidente.

Eu acho que tudo isso é apenas uma questão de tempo. Temos de ressaltar que para o primeiro ano da categoria, todos os resultados que estão sendo alcançados são muito bons. A categoria precisa de mais tempo para inovações que permitam ainda mais seu crescimento.

EN: O FOX SPORTS BRASIL é o canal de TV à cabo que transmite a Fórmula E aqui no nosso país. Estamos criando o EPRIX NEWS (no facebook, twitter e site) a fim de ajudar a difundir esta nova categoria no Brasil. Em nossa opinião, os desempenhos de Lucas di Grassi, Nelson Piquet Jr. e Bruno Senna são uma parte muito importante deste processo. Qual é a sua opinião sobre isso? A Fórmula E é um tipo totalmente diferente de automobilismo e está nos mostrando um conceito novo. Você acha que a Fórmula E vai alcançar um sucesso grande e fãs ao redor do mundo?

SD: Sem dúvida, este tipo de páginas na web assim como as redes sociais estão nos ajudando a crescer.

Em relação aos pilotos brasileiros, eu acho que todos os três são excelentes que poderiam ou deveriam estar na Fórmula 1. Na verdade, eles já estiveram lá e deveriam ter continuado até hoje. Felizmente, para nossa categoria, eles estão na Fórmula E. Eu tenho certeza que eles representam bem o Brasil.

Eu acredito que a disseminação deste tipo de categoria do automobilismo sempre sera algo muito bom em todos os aspectos. A Fórmula E já está desfrutando do sucesso em todos os lugares que vai. O número de fãs da Fórmula E aumenta a cada dia.

Salvador Duran, EPRIX NEWS agradece por nos conceder essa entrevista. Desejamos todo o sucesso em sua carreira.

Deixe uma resposta